No último sábado, 24/11, o estádio Lavalli Campos foi palco de uma grande festa. As categorias Sênior e Master entraram em campo para disputar a grande final do Cifuca 2018. Japão se sagrou o campeão pela categoria Sênior e Uruguai levou a taça pela categoria Master.

 

Com as arquibancadas cheias e o olhar atento de uma torcida empolgada, os times finalistas  fizeram os jogos que decidiram os campeões dessa edição do Cifuca. Pela categoria Sênior, em uma grande partida, Japão venceu por 4x2 a Inglaterra e levou o ouro. Pela categoria Master, o Uruguai, que não perdeu nenhuma partida no campeonato, venceu por 4x2 o time de Portugal, sagrando-se o campeão em sua categoria.

 

 

Ricardo Marques, árbitro FIFA de Minas Gerais, foi quem apitou os jogos. "É uma satisfação muito grande poder estar aqui no CBH. O campeonato foi muito bem organizado e a competição bem estruturada. Estão de parabéns toda a direção do clube e os atletas. A gente vem para contribuir com um espetáculo tão bonito como esse. Tivemos famílias presentes, muitas crianças, isso é muito importante. Quero agradecer mais uma vez pelo convite", disse.

 

 

Ricardo ressaltou ainda o desempenho dos jogadores da categoria Sênior:  "A gente percebe uma superação muito grande, já que são atletas com idade acima de 50 anos com muita vitalidade e saúde. Isso me alegra e me motiva. Quem sabe eu chegue nessa idade com essa vitalidade?".

 

Por último, o árbitro elogiou o jogo da categoria Master: "Foi um jogo muito leal. Tivemos uma partida sem nenhuma expulsão, os jogadores se respeitaram e respeitaram a arbitragem. Praticaram o fairplay o que é o mais importante".

 

 

 

Premiação

 

 

Após as partidas finais, a diretoria do CBH fez a entrega da premiação aos vencedores.

 

"Nosso time foi crescendo aos poucos e na final nós ficamos fortes. Fomos campeões no Torneio Início e fechamos com chave de ouro com a vitória do campeonato", comemorou Eduardo Alves, jogador do Japão pela categoria Sênior.

 

 

Neilor Andrade, jogador Uruguai pela categoria Master, foi o artilheiro do campeonato com 28 gols e falou sobre sua história com o campeonato: "Entrei no Clube em 1993 e jogo no Cifuca desde 1996. São 22 anos! Eu amo o Clube. Eu passei a minha infância esperando crescer para entrar dentro do campo e jogar. Vi meu pai e meus tios jogando. Isso aqui significa muito para mim e para os amigos da minha geração".

 

 

Durante a premiação o diretor de esportes do Clube, Mateus Brandão, foi homenageado. "Agradeço pelo reconhecimento do trabalho que tenho exercido à frente desta diretoria. Hoje o CBH é uma referência no esporte e uma das potências de Belo Horizonte. Somos procurados para disputar vários campeonatos fora e também para emprestar nossos espaços para várias competições de âmbito nacional. O Cifuca é referência de campeonato interno de clubes na modalidade futebol. Recebo ligações de outros clubes querendo saber sobre a organização do campeonato. E a tendência é que ele cresça cada vez mais".

 

 

Mateus estendeu a homenagem aos colegas: "Gostaria de agradecer ao Élcio que sempre colabora com a organização dos eventos esportivos; aos coordenadores de esportes que me ajudam nessa gestão e ao Rui que é meu braço direito na diretoria de esportes. Principalmente ao nosso presidente Carlão que sempre apoia o esporte no CBH".

 

O diretor finalizou afirmando acreditar que o Clube Belo Horizonte é hoje das maiores potências, em todos os aspectos, entre os clubes da Capital.

 

Veja as fotos em: https://photos.app.goo.gl/WxgZ1khgGFdCmj369